OFTALMOLOGISTA: O QUE É E QUANDO PROCURAR ESTE MÉDICO?

Encarregado de cuidar da saúde dos olhos como um todo, o médico oftalmologista é o profissional responsável por diagnosticar, tratar, acompanhar e evitar disfunções oculares, desde os mais simples até os mais complexos. Assim, o paciente fica seguro quanto ao funcionamento adequado do sistema ocular.

Diversas pessoas negligenciam a importância da consulta oftalmológica e acabam descobrindo doenças problemas oftalmológicos tarde demais, o que pode ser extremamente perigoso.

 

📲| Associado agende sua consulta pelo WhatsApp (31) 3531-2367 (opção 1)

UNIDADES SINDI-ASSEIO RMBH:
Betim: (31) 3531-2653 / 3531-2367
Contagem:  (31) 2564-4860 / 2567-4097

 

Quais são os problemas de visão mais comuns?

Por mais que sejam comuns, alguns problemas oculares, provocados por fatores hereditários, hábitos, estilo de vida e condições do ambiente, podem desencadear uma maior dificuldade visual e, em situações severas, a completa perda de visão.

Por isso, até mesmo um simples problema pode afetar nossa capacidade de enxergar. Pensando nisso, é muito importante tomar cuidado com as disfunções citadas abaixo:

  • Miopia
  • Hipermetropia
  • Astigmatismo
  • Presbiopia
  • Ceratocone
  • Glaucoma

1. Miopia

Caracterizada pela dificuldade de enxergar de longe, a miopia é um problema ocular que faz com que os pacientes míopes enxerguem imagens desfocadas à distância, visto que elas são focadas incorretamente à frente da retina, promovendo uma menor nitidez. Com isso, são notados sintomas como visão turva e embaçada, dores de cabeça, fadiga ocular, tontura e hábito de apertar os olhos.

2. Hipermetropia

Diferentemente da miopia, a hipermetropia provoca uma dificuldade para enxergar objetos que estão mais próximos. Existe ainda a hipermetropia reduzida, em que o paciente vê totalmente de perto, mas adquire cansaço ocular e dor de cabeça em razão dos esforços feitos para tentar conseguir uma melhor nitidez.

3. Astigmatismo

Normalmente, os pacientes que têm astigmatismo ou hipermetropia também possuem astigmatismo. Nesse caso, a pessoa apresenta dificuldade para enxergar com nitidez devido um grande desfoque e distorção. Assim, não enxergam muito bem de perto e nem de longe, já que a vista tem diversos pontos de foco.

4. Presbiopia

A presbiopia, mais conhecida como vista cansada, é definida pela piora da visão que ocorre de maneira natural com o passar dos anos, acometendo grande parte das pessoas de 40 anos de idade.

Geralmente, nos consultórios oftalmológicos os pacientes relatam uma perda da capacidade de enxergar objetos próximos e/ou distantes. No entanto, não há como dizer que se trata de um defeito visual, visto que consiste em uma consequência natural da visão que necessita do uso de óculos de grau ou lentes de contato para ser tratada.

5. Ceratocone

Ao contrário da presbiopia, a ceratocone é uma doença hereditária crônica degenerativa que interfere na saúde dos olhos na fase da infância, adolescência e início da vida adulta, deformando a estrutura da córnea. Em consequência, esse tecido passa a se assemelhar a um cone. Dessa maneira, a visão é danificada, se tornando irregular e embaçada.

6. Glaucoma

O glaucoma é uma condição que afeta os olhos ao causar danos ao nervo óptico, elevando a pressão do olho e alterando o fluxo sanguíneo que nutre essa estrutura cilíndrica. Por esse motivo, o campo de visão dos pacientes é diminuído aos poucos, e nos casos mais severos os sintomas mais graves começam a surgir, como dor aguda em um dos olhos, visão embaçada, vermelhidão e inchaço local, dor na testa, lacrimação e sensibilidade à luz.

 

Quando procurar um médico oftalmologista?

Até aqui, você pode perceber que é muito importante se atentar aos problemas como vermelhidão, dor ou inchaço nos olhos, dor de cabeça e visão embaçada, e logo buscar a assistência de um médico oftalmologista, especialmente quando eles aparecem recorrentemente.

Durante a consulta oftalmológica, é possível que o especialista solicite alguns exames, mas de modo geral eles devem ser realizados pelo menos uma vez ao ano, visando aderir o adequado acompanhamento da saúde dos olhos. O tempo de retorno costuma variar conforme o tipo de problema e faixa etária.

Na infância, é essencial que as visitas regulares ao oftalmologista sejam mantidas, a fim de analisar como está o estado dos olhos e identificar possíveis alterações, já na adolescência, os adolescentes devem visitar o profissional cerca de uma vez por ano, realizando exames de rotina.

Assim como eles, os adultos precisam ir ao consultório oftalmológico anualmente, ou quando apresentam sinais de que algo está errado. Principalmente depois dos 40 anos, os sintomas surgem com frequência, e assim as doenças oculares atrapalham a qualidade de vida e o bem-estar.

Uma maior constância de consultas oftalmológicas devem ser feitas a partir da terceira idade, levando em consideração o fato de que este grupo é muito propício a adquirir várias disfunções graves, como o glaucoma e a catarata no olho. Sendo assim, é aconselhado exercer as visitas por mais de uma vez por ano.

Por essa razão, as pessoas que apresentam essas patologias devem ser acompanhadas e monitoradas com uma atenção redobrada, até que a sua progressão seja cessada.

De qualquer forma, as recomendações específicas partem diretamente do médico oftalmologista, que avalia a necessidade por meio do quadro de saúde e fatores de risco. Tanto que, os pacientes que possuem um alto histórico familiar de problemas na vista costumam adotar consideráveis quantidades de cuidado.

 

 

Fonte: https://blog.amorsaude.com.br/oftalmologista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + nove =